Antônio Carlos Cerezo

De Clube Atletico Mineiro - Enciclopédia Galo Digital
(Redirecionado de Cerezo)
Ir para: navegação, pesquisa
Toninho Cerezo
Cerezo 783.jpg
Informações pessoais
Nome completo Antônio Carlos Cerezo
Data de nasc. 21 de abril de 1955 (62 anos)
Local de nasc. Belo Horizonte-MG Bandeira de Minas Gerais.png, Brasil Brasil.png
Altura 1,83 m
Peso 76 kg
Apelido(s) Toninho Cerezo
Cerezo
Patrão da bola
Informações profissionais (Jogador)
Último clube Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Atlético (1997)
Número 5
Posição Meio-campo
Revelado por Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Atlético (1973)
Princ. clubes Atlético, Roma, Sampdoria,
São Paulo e Seleção Brasileira
Informações profissionais (Treinador)
Clube atual Japão.png Kashima Antlers-JAP (2013)
Princ. clubes Al Shabab, Kashima Antlers e Vitória.
Atlético (Jogador)
Jogos 400
Gols 53
Estreia CEUB-DF 2 x 2 CAM - 19/02/1974
Último jogo CAM 2 x 2 AC Milan - 02/08/1997
Vitórias 257
Empates 90
Derrotas 53
Títulos Campeonatos Mineiros 1976, 1978, 1979,
1980, 1981 e 1982
Taça Minas Gerais de 1975 e 1976
Campeão dos Campeões de 1978
Copa Centenário BH de 1997
Observações Disputou as Copas de 1978 e 82.
Atlético (Treinador)
Jogos 13
Estreia Ipiranga-MG 0 x 3 CAM - 07/02/1999
Último jogo Cruzeiro-MG 5 x 1 CAM - 04/04/1999
Vitórias 6
Empates 2
Derrotas 5
Atualizado em 10 de agosto de 2010

Biografia

Antônio Carlos Cerezo, mais conhecido como Toninho Cerezo, foi um dos principais jogadores na história do Clube Atlético Mineiro. Entre os anos de 1974 e 1983, conquistou nove títulos e participou de duas Copas do Mundo. Aos 42 anos de idade, voltou ao Galo para fazer sua partida de despedida na Copa Centenário de Belo Horizonte.

Início de Carreira

Iniciou sua carreira longe das bolas. Filho de atores, desde pequeno já se apresentava em companhia do pai, o palhaço Moleza, em circos montados pela periferia de Belo Horizonte e em programas da extinta TV Itacolomi. Aos oito anos de idade, Toninho sofreu com a perda do pai, mas continuou se apresentando nos picadeiros com a mãe, para a sobrevivência de sua família. A carreira circense só foi encerrada sete anos mais tarde, quando foi descoberto por um olheiro do Atlético jogando em campos de várzea jogando pelo time do Ferroviário, no bairro Esplanada. Em 1972, estreou na equipe júnior do Galo. Aos 17 anos, chegou a ser emprestado ao Nacional do Amazonas para adquirir experiência. "No júnior do Atlético eu ganhava cem cruzeiros. Fui para Manaus ganhando mil. No dia em que recebi o primeiro ordenado, fiquei bobo. Mil pratas! Era demais, para mim que nunca tinha visto mais de cem, e que nunca tinha podido ajudar a mamãe. Peguei a grana e fui para o banco. Tirei cento e cinquenta e mandei o resto para Belo Horizonte. Na hora em que despachei o dinheiro, não resisti: estava mandando o primeiro dinheiro para minha casa. Chorei lá mesmo, no banco," lembrou o ex-jogador. No Nacional-AM, aprendeu a superar crises e jogar firme e tranquilo. Barbatana, então técnico do Nacional-AM, confiou no futebol de Cerezo e o mandou de volta para Belo Horizonte, onde Telê Santana, então técnico do Galo, o esperava para ocupar a reseva. No início, Toninho entrava e saía. Ainda não era capaz de atender as necessidades do time, tudo uma questão de tempo. Aos poucos foi conquistando a confiança da torcida e de Telê.

Estreia como Profissional pelo Galo

Voltou ao Galo em 1974. Ganhou a posição de titular no time alvinegro onde vestiu a camisa 8 por dez anos consecutivos. Neste período, foi seis vezes campeão mineiro (1976, 1978, 1979, 1980, 1981, 1982), duas vezes vice-campeão brasileiro (1977, 1980). Foi considerado herói na conquista do estadual de 1976 acabando com a hegemonia de quatro anos do rival Cruzeiro. Ao lado de Reinaldo, formou uma das maiores linhas de ataque de todos os tempos do Clube Atlético Mineiro. Somente a presença dos dois em campo bastava para intimidar os adversários. Foi com essa grande dupla no ataque que a conquista do Mineiro em 1981 tornasse realidade. Como capitão do time, Cerezo ficou conhecido por ser um capitão da paz. Dois fatos culminaram nesse apelido. Primeiro, quando o ex-goleiro Ortiz reapareceu, após abandonar o clube, ficou sem direito a salários e foi proibido de treinar. Foi Cerezo quem conseguiu uma licença para que Ortiz voltasse aos treinos - ainda que em separado - e comandou uma coleta de dinheiro para ele comer e pagar hotel. O segundo episódio aconteceu quando o jogador Nei Dias ameaçou o técnico Procópio de morte e só voltou ao time por influência de Cerezo.

Passagens pela Seleção Brasileira

Em 1978, mostrando um grande futebol, Cerezo foi convocado para defender o Brasil na Copa do Mundo da Argentina. Após a volta desse Mundial, a carreira de Toninho de consolidava no Brasil inteiro, mas também foi a causa de uma suposta crise de estrelismo, segundo os críticos da época. Seu futebol, por uns tempos, caiu de rendimento. Porém, Toninho sempre treinou em busca da perfeição. Com objetivos bastante definidos, em 1982, Cerezo foi novamente convocado para integrar a Seleção no Mundial da Espanha, desta vez pelo técnico Telê Santana. Sua escalação, em 82, envolveu uma série de polêmicas, já que o jogador havia sido expulso num jogo contra a Bolívia nas eliminatórias. Já tendo cumprido punição em dois jogos oficiais, faltava apenas um, exatamente a primeira partida da Seleção no Mundial. Apesar de não ter conseguido anular sua punição, Cerezo voltou para os outros jogos como titular absoluto. Formou ao lado de Falcão, Sócrates e Zico um dos melhores meio-campo da história do futebol mundial. Porém, devido a uma falha no jogo contra a Itália, Cerezo sofreu duras críticas por ter sido responsável pelo gol italiano que eliminou a Seleção Brasileira do Mundial por 3 a 2.

"Reconheço o passe errado no fatídico jogo contra a Itália, mas faço questão de ressaltar que o Brasil não foi eliminado somente por aquele lance", defendeu-se Toninho Cerezo.

Carreira Internacional

Saiu do Atlético em 1983 indo jogar no Roma da Itália, negociado por US$ 10 milhões, mesmo valor da transferência de Zico para a Udinese, clube também italiano. O frio e as diferenças culturais encontrados por Cerzeo na Itália foram grandes barreiras que impediram o jogador de repetir o mesmo sucesso conquistado em Belo Horizonte, mas ajudou o clube a conseguir duas Copas da Itália em 1984 e 1986. Logo após os títulos, em agosto de 1986, Toninho Cerezo se transferiu para o Sampdoria-ITA, onde brilhou novamente. Lá, ganhou o apelido de Pluto, lembrando o cachorro do Mickey, por suas passadas largas e desajeitadas. Conquistou um Campeonato Italiano e mais duas Copas da Itália.

Retorno ao Brasil

Retornou ao Brasil em 1992, jogando pelo São Paulo e presente nas duas campanhas de títulos mundiais do tricolor em Tóquio, em 92 e 93. Saiu do clube paulista ainda para atuar pelo Cruzeiro, em 1994, pelo Palmeiras, em 1995 e pelo América mineiro em 1996. Para encerrar a carreira, retornou ao Atlético em 96/97, onde foi campeão da Copa Centenário de Belo Horizonte em 1997. A sua partida de despedida foi um empate em 2 a 2 com o Milan da Itália.

Ao todo fez 400 jogos pelo Galo marcando 53 gols. Após encerrar carreira como jogador, Cerezo tornou-se técnico chegando a comandar o Galo no início de 1999.

Ficha Técnica

Nome: Antônio Carlos Cerezo
Posição: Meio-campo
Data de Nascimento: 21 de abril de 1955
Local: Belo Horizonte-MG

Carreira como jogador

Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Atlético - 1973
Brasil.png Bandeira do Amazonas.png Nacional-AM - 1973/1974
Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Atlético - 1974/1983
Itália.png Roma-ITA - 1983/1986
Itália.png Sampdoria-ITA - 1986/1992
Brasil.png Bandeira de São Paulo.png São Paulo-SP - 1992/1993
Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Cruzeiro-MG - 1994
Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png América-MG - 1995/1996
Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Atlético - 1996/1997

Carreira como treinador

Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Atlético - 1999
Brasil.png Bandeira da Bahia.png Vitória-BA - 1999
Japão.png Kashima Antlers-JAP - 2000/2005
Brasil.png Bandeira de São Paulo.png Guarani-SP - 2005
Arábia Saudita.png Al Shabab-ARA - 2008/2009
Emirados Árabes Unidos.png Al-Ain-EAU - 2009/2010
Brasil.png Bandeira de Pernambuco.png Sport-PE - 2010
Brasil.png Bandeira da Bahia.png Vitória-BA - 2012
Japão.png Kashima Antlers-JAP - 2013

Partidas Disputadas

Ano 1981

198123 - 03/06/1981 - Atlético 4 x 0 Uberlândia-MG - Campeonato Mineiro
198124 - 07/06/1981 - Atlético 1 x 1 Villa Nova-MG - Campeonato Mineiro

Ano 1997

199742 - 02/08/1997 - Atlético 2 x 2 Milan-ITA - Copa Centenário de BH

Títulos como jogador

1974 - Brasil.png Bandeira do Amazonas.png Campeonato Amazonense - Nacional-AM
1975 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Taça Minas Gerais - Atlético
1976 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Taça Minas Gerais - Atlético
1976 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Campeonato Mineiro - Atlético
1978 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Campeonato Mineiro - Atlético
1978 - Brasil.png Torneio Campeão dos Campeões Brasileiros - Atlético
1979 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Campeonato Mineiro - Atlético
1980 - Espanha.png Torneio Costa do Sol - Atlético
1980 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Campeonato Mineiro - Atlético
1981 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Campeonato Mineiro - Atlético
1982 - Espanha.png Torneio de Bilbao - Atlético
1982 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Campeonato Mineiro - Atlético
1984 - Itália.png Copa da Itália - Roma-ITA
1986 - Itália.png Copa da Itália - Roma-ITA
1988 - Itália.png Copa da Itália - Sampdoria-ITA
1989 - Itália.png Copa da Itália - Sampdoria-ITA
1990 - Bandeira da Europa.png Supercopa da Europa - Sampdoria-ITA
1991 - Itália.png Copa da Itália - Sampdoria-ITA
1991 - Itália.png Campeonato Italiano - Sampdoria-ITA
1992 - Brasil.png Bandeira de São Paulo.png Campeonato Paulista - São Paulo-SP
1992 - Conmebol Logo.png Taça Libertadores da América - São Paulo-SP
1992 - Planeta.png Mundial Interclubes - São Paulo-SP
1993 - Conmebol Logo.png Taça Libertadores da América - São Paulo-SP
1993 - Planeta.png Mundial Interclubes - São Paulo-SP
1994 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Campeonato Mineiro - Cruzeiro-MG
1997 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Copa Centenário de Belo Horizonte - Atlético

Outros

1976 - Brasil.png Bola de Prata da Revista Placar - Atlético
1977 - Brasil.png Bola de Prata da Revista Placar - Atlético
1977 - Brasil.png Bola de Ouro da Revista Placar - Atlético
1980 - Brasil.png Bola de Prata da Revista Placar - Atlético
1980 - Brasil.png Bola de Ouro da Revista Placar - Atlético
1992 - Bandeira da Europa.png Vice-UEFA Champions League - Sampdoria-ITA

Títulos como treinador

2000 - Japão.png Campeonato Japonês - Kashima Antlers-JAP
2000 - Japão.png Copa do Imperador - Kashima Antlers-JAP
2000 - Japão.png Copa da Liga Japonesa - Kashima Antlers-JAP
2001 - Japão.png Campeonato Japonês - Kashima Antlers-JAP
2002 - Japão.png Copa da Liga Japonesa - Kashima Antlers-JAP
2007/08 - Emirados Árabes Unidos.png Campeonato dos Emirados Árabes - Al-Shabab-EAU
2012 - Japão.png Copa Suruga Bank - Kashima Antlers-JAP