Alexandre Kalil

De Clube Atletico Mineiro - Enciclopédia Galo Digital
Revisão de 11h00min de 4 de dezembro de 2014 por Victor.hugo (discussão | contribs) (Ver também)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa
Alexandre Kalil
9576468181_73852a1d3a.jpg
43° Presidente do Atlético
Mandato
30 de outubro de 2008 até
3 de dezembro de 2014
Vice-presidente Daniel Nepomuceno
Precedido por Ziza Valadares
Sucedido por Daniel Nepomuceno
Presidente do Cons. Deliberativo
Mandato
14 de outubro de 1999 até
29 de julho de 2006
Precedido por não disponível
Sucedido por João Baptista Ardizoni dos Reis

Nome Completo Alexandre Kalil
Nascido em 25 de março de 1959 (58 anos)
Local de nasc. Belo Horizonte-MG Bandeira de Minas Gerais.png, Brasil Brasil.png
Website Twitter
Atualizado em 4 de dezembro de 2014

Biografia

Alexandre Kalil, natural de Belo Horizonte, foi o 43° presidente da história do Atlético. Filho do saudoso Elias Kalil, tomou posse no dia 30 de outubro de 2008 para o triênio 2009/11. Sua chapa, formada com Daniel Nepomuceno, venceu as de Sérgio Bias Fortes e Itamar Vasconcelos. Kalil obteve 271 votos contra 130 de Bias Fortes e 1 de Itamar[1]. Ao fim de seu mandato, tentou a reeleição e venceu as chapas de Fred Couto e Irmar Ferreira, tendo o direito de comandar o clube no triênio 2012/14[2].

História no Atlético

Volêi

No início dos anos 80, Elias Kalil chegava à presidência do Atlético com a missão de formar um elenco de ponta para brigar de igual para igual com os grandes clubes brasileiros. Em paralelo, colocou seu filho, o ainda jovem Alexandre, para dirigir o voleibol do Galo. Considerado como playboy por muitos, Alexandre Kalil buscou no Minas Tênis Clube alguns dos grandes jogadores que atuavam no esporte mineiro. Pelé, José Roberto Guimarães, Helder, Badalhoca e outros foram responsáveis por alavancar o nome do Atlético nas quadras. Em menos de 5 anos, o clube conquistou 4 títulos estaduais e 3 metropolitanos. Em âmbito nacional, figurou entre os melhores, mas não chegou a superar os dois principais elencos daquela época: Bradesco e Pirelli. Com o patrocínio da Fiat, o Minas Tênis conseguiu tirar do Atlético todos os jogadores que migraram para o Galo nos anteriores. Embora não tenha conquistado nenhum título de nível nacional, Alexandre Kalil é considerado por muitos um dos precursores do volêi em Minas Gerais[3].

Presidente do Conselho Deliberativo

- Posse no dia 14 de outubro de 1999;
- Reeleito e posse no dia 14 de outubro de 2004 até 29 de julho de 2006

Presidente do Clube Atlético Mineiro

Eleito no dia 30 de outubro de 2008, Kalil assumiu o Atlético com a missão de administrar o clube de maneira transparente e responsável. Suas primeiras ações na presidência foram voltadas aos torcedores: reduziu o preço dos ingressos para os jogos na reta final do Brasileirão e obteve a liberação das bandeiras no Mineirão[4]. No dia 12 de novembro, 42.182 torcedores 'recepcionaram' a volta de Kalil para o Atlético ao coro de 'ÔÔÔ...o Kalil voltou' . Na ocasião, o Galo goleou o Vasco da Gama por 4 a 1.

Logo no ano de 2009, Kalil montou uma equipe que era desacreditada por muitos, mas o Galo foi um dos destaques do Campeonato Brasileiro. Contratou jogadores como Diego Tardelli, Corrêa e Ricardinho. No final do ano, mesmo com o Atlético fechando a competição em 7° lugar, venceu o Troféu Guará de melhor dirigente do ano. Em 2010, veio o primeiro título como mandatário do clube. Sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, o clube conquistou o 40° título mineiro após duas vitórias diante o Ipatinga. O segundo semestre alvinegro foi ruim, mas Kalil teve pulso firme para aguentar a pressão e manteve Luxemburgo por 24 rodadas no Brasileirão. A saída do técnico e a chegada de Dorival Júnior deu ao Galo uma reação espetacular no final da competição, garantindo o Atlético na elite do futebol nacional. Durante toda a temporada 2010, o presidente buscou nomes de peso para vestir a camiseta do Galo, como Diego Souza (craque do Campeonato Brasileiro de 2009), Réver (3° melhor zagueiro do nacional anterior), Edison Mendez (craque da Libertadores de 2008), Obina, Daniel Carvalho, entre outros.

Alexandre Kalil recebe homenagem ao lado dos filhos e vereador Daniel Nepomuceno. Crédito: Bruno Cantini

Quase em todas as contratações, Kalil divulga os reforços do Galo via twitter, gerando suspense e ansiedade tanto pela torcida, quanto pela imprensa. O sucesso é tamanho, que o seu twitter é o que possui o maior número de seguidores no Estado de Minas Gerais[5], e outros presidentes de clubes presidentes seguiram a ideia do presidente do Atlético.

O segundo título veio em 2012 e de forma invicta. Após 36 anos, o Atlético terminou o Campeonato Mineiro sem ser derrotado por nenhuma equipe de Minas. Na decisão, o alvinegro derrotou o América após empatar o primeiro jogo e vencer a decisão por 3 a 0. Para a disputa do Brasileirão, Kalil ousou e reforçou o Atlético com um jogador de grande nome: Ronaldinho Gaúcho. Após a saída conturbada do atleta no Flamengo, o presidente do Galo foi até ao Rio de Janeiro para negociar com Assis, empresário e irmão de R10. Em poucas horas, o astro desembarcava na Pampulha para vestir a camisa do principal clube de Minas Gerais. Oito meses depois de chegar ao Atlético, Ronaldinho afirmou que a conversa com Kalil foi decisiva para sua vinda. "Conversei com o presidente e vi que ele estava entendendo o que eu queria. Sempre imaginei (voltar a) passar pelo que estou passando. Ele disse uma coisa muito simples: 'Sei que tu tá com sangue no olho, com vontade de voltar a jogar. Pode vir que no meu clube eu tenho estrutura para (fazer) você voltar à Seleção. E quando eu sentei com o presidente do Atlético eu já pensei: "Esse cara tá entendendo o que eu quero. E é com ele que eu vou."", afirmou o meia em entrevista ao Arena Sportv[6]. Além da contratação do astro, Alexandre ainda buscou nomes de peso para a manutenção do elenco, como o goleiro Victor, o lateral Júnior César e o centroavante . O resultado foi a classificação para a Copa Libertadores depois de 13 anos e o vice-campeonato nacional.

Já em 2013, Kalil garantiu a permanência de toda a equipe vice-campeã brasileira e ainda buscou grandes nomes para a disputa do torneio continental. O nome badalado e esperado pela torcida atleticana foi anunciado no dia 2 de fevereiro. Após quase 2 meses de negociações, Diego Tardelli era anunciado no twitter do presidente[7].

No mesmo dia em que anunciou o novo camisa 9 do Atlético, o presidente elogiou a nova arena Mineirão, mas afirmou que nos moldes apresentados pela Minas Arena, não interessaria ao clube. "Nós podemos voltar a jogar o clássico no Mineirão, com as duas torcidas, "a" de eterno, como todos querem. É só acertar os valores que nós voltaremos para o Mineirão sem problema nenhum. Nós, antes de lançarmos os camarotes do Independência, que ficaram muito bonitos e muito bem feitos, já vendemos R$10 milhões em um ano, de camarotes. E o Mineirão tem 98 camarotes e o Atlético não quer um nem dois, ele quer uma participação em todos eles", argumentou o presidente[8].

A manutenção dos principais jogadores na temporada garantiram um início avassalador na Copa Libertadores da América. De coadjuvante - para muitos - o Atlético saltou para favorito nos primeiros meses, quando terminou a primeira fase em primeiro lugar geral. Em paralelo, levou o Estadual em banho-maria até bater o Cruzeiro na decisão após um chocolate de 3 a 0 no Independência. Mesmo com muita dificuldade nas fases decisivas da Libertadores, o Atlético conseguiu a conquista inédita após reverter o placar de 2 a 0 conquistado pelo Olimpia no Paraguai. Antes mesmo da decisão, o presidente chegou a afirmar que a disputa na decisão já era uma mudança na história do clube e enfatizou o trabalho dos jogadores. "Nós realmente mudamos a história do Atlético. Agora e hoje eu sei disso. Até hoje eu não sabia. Eles estão de parabéns. São jogadores competentes e experientes, não são mais meninos. Colocar um Ronaldinho concentrado durante cinco dias não é brincadeira. Acima de tudo, são sérios.", afirmou o presidente após eliminar o Newell's[9].

Homenagens

No dia 6 de maio de 2011, foi homenageado na Câmara Municipal de Belo Horizonte com o diploma de "Honra ao Mérito". A indicação da homenagem foi feita pelo vereador Daniel Nepomuceno no Plenário Amynthas de Barros. O político destacou as virtudes do presidente ao se pronunciar na Casa. "Eficiência e transparência são traços fortes da gestão de Kalil, o que o torna um vitorioso. Ele saneou as dívidas do Atlético, valorizou os jogadores, fez com que todos tivessem orgulho de vestir a camisa do Galo e pôs os salários em dia", destaca Daniel Nepomuceno.

Multimídia

Ano 2008

30/10/08 - Alexandre Kalil é o novo presidente do Atlético:

Ano 2011

24/04/2011 - Kalil comenta assinatura de contrato com TV no Bate-Bola ESPN:

06/05/2011 - Presidente Alexandre Kalil recebe homenagem da Câmara Municipal de BH:

25/08/2011 - Kalil anuncia candidatura à presidência do Atlético:

15/12/2011 - Alexandre Kalil é reeleito presidente do Clube Atlético Mineiro:

Ano 2012

27/02/2012 - Presidente Alexandre Kalil se impressiona com o novo Independência:

19/04/2012 - Alexandre Kalil é o convidado do CamaroteFC do Premiere Sportv:

04/06/2012 - Apresentação de Ronaldinho na Cidade do Galo:

10/07/2012 - Entrevista para o programa "Em Off":

Ano 2013

10/04/2012 - Dirigente recebe o troféu Bola Cheia em Montes Claros:

17/04/2013 - Alexandre Kalil é o convidado do Bola da Vez da ESPN Brasil:

12/08/2013 - Alexandre Kalil é o convidado do "A Última Palavra" do Fox Sports - Parte 1:

12/08/2013 - Alexandre Kalil é o convidado do "A Última Palavra" do Fox Sports - Parte 2:

Premiações

2001 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Troféu Guará de Dirigente do ano - Atlético
2002 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Troféu Guará de Dirigente do ano - Atlético
2009 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Troféu Guará de Dirigente do ano - Atlético
2012 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Troféu Guará de Dirigente do ano - Atlético
2013 - Brasil.png Bandeira de Minas Gerais.png Troféu Guará de Dirigente do ano - Atlético

Referências

Ver também


Precedido por
Presidente do Cons. Deliberativo do Atlético
1999 - 2006
Sucedido por
João Baptista Ardizoni dos Reis
Precedido por
Ziza Valadares
Presidente do Atlético
2008 - atualidade
Sucedido por
Daniel Nepomuceno